Bemvindos ao site do DAISHIZEN DOJO – AIKIDO – Confederação Brasileira de AIKIDO – BRAZIL AIKIKAI.

Março 1st, 2018

Irashai Masse!Prezados(as), é com imensa satisfação que anunciamos a presença do DAISHIZEN DOJO na Internet. Neste endereço, você poderá conferir informações acerca do AIKIDO praticado no DOJO, bem como demais atividades existentes, incluindo os dias e horários das aulas, curiosidades, notícias, entre outros.

Se você se interessou e deseja conhecer nossas práticas, desde já sinta-se convidado para entrar em contato e agendar um dia para  assistir uma ou mais aulas. Vale lembrar que o DOJO somente funciona nos horários das aulas.

Nossos dados para contato, são:

Email: daishizendojo@gmail.com

Endereço: SCLRN 716 bloco E, loja 06. Brasília – DF.                                    CEP: 70770-535.

 

Localização – DAISHIZEN DOJO

 

Telefones:

AIKIDO – Instrutor Diego (+5561991382218) 

AIKIDO – uma breve introdução.

Março 1st, 2018

“O importante não é lutar contra um inimigo e derrotá-lo. É mais do que isso. Derrotar os inimigos internos, a insegurança, o receio. É descobrir a maneira de conciliar as diferenças que existem no mundo e fazer dos seres humanos uma grande família. É compreender as leis do Universo, tornar-nos unos com ele. Esse entendimento se dará pelo treinamento persistente”.

(MORIHEI UESHIBA – 1883-1969).

O AIKIDO é uma arte marcial japonesa tradicional, cujos vocábulos podem ser traduzidos da seguinte maneira::

AIKIDO - significado

Criada pelo mestre Morihei Ueshiba (1883-1969), concentra nela toda a essência do conjunto de artes marciais japonesas (BUDO).

Muitos acreditam que os japoneses criaram o BUDO para a guerra. Pelo contrário, a palavra DO significa, além do acima descrito, a verdade última, o Logos, Deus. Desta forma as artes marciais modernas são na verdade Caminhos espirituais, que fazem as pessoas viverem melhores.

A idéia que o ocidente possui sobre as artes marciais – voltadas para a violência, foi desenvolvida pelos primeiros estrangeiros que chegaram ao Japão. Estes não conseguiam entender que ao verem as pessoas lutando, na realidade estavam praticando um exercício para melhor entenderem a Natureza (Daishizen) e assim poderem se harmonizar com ela, como preconiza o sentimento original do povo japonês.

A mudança da utilização das artes marciais para “Caminhos marciais” ocorreu depois da introdução das armas de fogo no Japão. Os samurais perceberam que seus afiados e bem manejados Katanas (espadas) eram inúteis diante de uma pistola carregada. Desta forma passaram a praticar os movimentos marciais não mais para a guerra, mas sim como exercícios para a iluminação espiritual.

Os ocidentais ao chegarem no Japão e verem as pessoas trocando socos e pontapés, pensaram que aquilo podia ser um excelente meio de defesa pessoal. Desta forma importaram a prática de forma errônea, com a idéia de que uma pessoa procura um Caminho marcial com o objetivo de ficar bom de briga.

AIKIDO não é um esporte, nem uma arte de combate; mas sim um trabalho de desenvolvimento da percepção, para enxergarmos melhor o mundo visível e o invisível e desta forma passarmos a respeitar as leis que o regem (KANNAGARA NO MICHI).

Trata-se de uma prática cujo o foco é a busca interior e pode ser praticado por todo tipo de pessoas, independente de idade e sexo. Através da prática sincera e disciplinada, consegue-se um eficaz método de defesa pessoal.

No AIKIDO cultivam-se as sete vistudes do guerreiro, conforme o BUSHIDO (código de conduta dos samurais): JUSTIÇA, VALOR HERÓICO, COMPAIXÃO, CORTESIA, HONRA, SINCERIDADE E O SENTIDO DE DEVER E DE LEALDADE.

O treino apresenta benefícios físicos, biológicos, psicológicos, técnicos e espirituais. Na prática desenvolve-se o relaxamento, a concentração, a não resistência, a ausência de espírito de competição, a respiração abdominal, a ausência do conceito de adversário, a consciência “parceiro”, buscando-se formar a idéia de complementaridade, sempre aumentando o uso do Ki (energia interna).

Através de suas ginásticas especiais, baseadas nos movimentos circulares de defesa e métodos de respiração, alcança-se o melhoramento do sistema cardiovascular, neuromuscular e metabólico, além da melhora das aptidões e capacidades de coordenação motora, aumentando a saúde, a flexibilidade e a força.

O DAISHIZEN DOJO, por seguir a Escola Instituto Takemussu têm como lema: “PRATICAR UMA ARTE MARCIAL EFICIENTE COMO DEFESA PESSOAL, MAS ACIMA DE TUDO COMO FERRAMENTA PARA ATINGIR A ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL”.

O AIKIDO além de ser uma arte eficiente para a defesa pessoal é um Caminho que fornece harmonia, cultura e filosofia às pessoas, unindo as partes físicas e espiritual do ser humano, tendo como objetivo a busca do autoconhecimento e da perfeição.

Para tal é muito importante a treinar o AIKIDO em um Dojo reconhecido e que esteja vinculado com a Fundação AIKIKAI, situada no Japão, entidade esta fundada e mantida tradicionalmente pela família Ueshiba, que mantém os ideais do Fundador deste Caminho. Desta forma evita-se a começar um treinamento de maneira errada, recebendo informações distorcidas e adquirindo vícios que muitas das vezes serão difícieis de serem corrigidos posteriormente.

Treinar em um Dojo supervisionado e fiscalizado pela CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AIKIDO – BRAZIL AIKIKAI é garantia da prática em nível internacional.

(Fonte: http://www. aikikai.org.br com adaptações).

“O AIKIDO é o remédio para um mundo doente. Há maldade e desordem no mundo porque as pessoas esqueceram que todas as coisas emanam de uma só fonte. Retorne a essa fonte e deixe para trás os pensamentos egoístas, os desejos mesquinhos e a raiva.

Quando você se preocupa com o ‘bom’ e o ‘ruim’ de seus companheiros, você abre uma porta em seu coração para a malícia entrar. Julgar e criticar os outros, e competir com eles, enfraquece e derrota você.

Sua mente deve estar em harmonia com o funcionamento do Universo; seu corpo deve estar sintonizado com o movimento do Universo; o corpo e a mente devem ser uma só coisa, unificados com a atividade do Universo.

Não há competições no AIKIDO. O verdadeiro guerreiro é invencível porque ele, ou ela, não compete com nada. ‘Derrotar’ significa derrotar a mente de contenção que abrigamos em nós.

As técnicas empregam quatro qualidades que refletem a natureza de nosso mundo. Dependendo das circunstâncias, seus movimentos devem ser duros como o diamante, flexíveis como o salgueiro, suavemente fluidos como a água ou tão vazios como o espaço.”

(MORIHEI UESHIBA – 1883-1969).


Shihan Wagner Büll

Março 1st, 2018

Shihan Wagner Büll é o Responsável Técnico pelo DAISHIZEN DOJO. Mestre Wagner Büll nasceu em Londrina, Paraná, no ano de 1949. Desde a infância, teve estreito contato com a colônia japonesa local, bem como com sua rica cultura, travando assim conhecimento com as artes marciais. Praticou JUDO, KARATE, Boxe, e por fim veio a iniciar-se no AIKIDO, arte que o acompanharia por toda a vida.

Em 1969, quando fazia seus estudos universitários em Curitiba, conheceu, sob a orientação do professor Jorge Van Zuit, o mestre Horie 5ºdan, em visita à cidade, que era um grande budoka, e o impressionou fortemente. Permaneceu durante 15 dias recebendo informações do mestre, que lhe fizeram apaixonar-se pela arte.

Em 1970, em razão do afastamento do professor Jorge, motivado por enfermidade, assumiu a direção do Dojo, e assim desde cedo adquiriu experiência no ensino de artes marciais.

Em 1971 mudou-se para São Paulo para realizar o curso de pós-graduação em engenharia civil, vindo a treinar durante cinco anos com o professor Keisen Ono e Reichin Kawai, um dos introdutores da arte no país.

Em 1985 conheceu o reverendo Massanao Ueno, bispo xintoísta e alto grau em Takemussu Aikido, que procurava praticar o AIKIDO junto com o esoterismo Shinto, adquirindo o grau de Nidan, bem como 3ºdan do Aikikai. Nesta ocasião foi iniciado no Takemussu Aiki e nos aspectos esotéricos e espirituais do Caminho, como o Kotodama.

Em 1986, fundou o Instituto Takemussu e conseguiu o reconhecimento da entidade como representante do AIKIDO TRADICIONAL no país através do Conselho Nacional de Desportos, o que possibilitou a posterior criação da CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AIKIDO – BRAZIL AIKIKAI. Este feito acabou com o monopólio que havia no Brasil, que impedia que mais de uma organização de AIKIDO fosse oficialmente reconhecida no país, possibilitando assim que esta arte começasse a crescer com liberdade.

Em 1988, estabeleceu contato com o Hombu Dojo no Japão, através do professor Yoshimitsu Yamada, e assim as promoções dos faixas pretas passaram a ser consignadas através deste mestre, que foi aluno do fundador, Morihei Ueshiba, e do seu filho Kisshomaru. Isto provocou um “boom” no AIKIDO brasileiro.

Em 1999 foi graduado a 6ºdan pelo Shihan Yoshimitsu Yamada, sendo esta promoção reconhecida pelo Doshu do AIKIDO em 2002. Neste mesmo ano, a organização nacional foi oficializada pelo Aikikai Hombu Dojo do Japão, sendo que daí em diante as promoções para faixas pretas passaram a ser conduzidas diretamente por Wagner Büll, com autorização para examinar e habilitar promoções para todos os graus.

O professor Wagner Büll organizou dezenas de seminários com os grandes mestres internacionais, elevando o nível técnico da arte no país, e dando a oportunidade para os praticantes brasileiros conhecerem a maioria desses mestres. A princípio, com ajuda de seus companheiros, e posteriormente com o apoio da Federação Paulista de Aikido, organizou o grande seminário com o Doshu Moriteru Ueshiba, no qual compareceram mais de duas mil pessoas, sendo o segundo maior seminário de AIKIDO até hoje ocorrido no mundo.

Wagner Büll é também considerado o maior divulgador do AIKIDO do país. Desde 1996, escreveu centenas de artigos em revistas especializadas no Brasil e no exterior, bem como no jornal São Paulo Shimbum. Escreveu ainda sete livros publicados em português e um em espanhol.

Tecnicamente é um tradicionalista, e procura treinar a arte o mais próximo possível da forma ensinada pelo fundador do AIKIDO, sempre destacando que esta é uma arte marcial eficiente, mas com propósitos de iluminação espiritual. Formou centenas de faixas pretas, estimulou e criou vários Dojos de AIKIDO nas principais cidades brasileiras.

Traduziu as principais obras de AIKIDO do mundo, entre elas, as escritas pelo fundador dessa arte, pelo seu filho Kisshomaru e pelo seu neto, o atual Doshu, devido ao fato de ser fluente em línguas estrangeiras. Seus dois filhos, Alexandre e Edgar, são faixas pretas de AIKIDO atuantes, e sua esposa Marilia é médica. Profissionalmente, o professor Wagner Büll é engenheiro civil, com pós graduação em Administração de Empresas pela FGV, e empresário.

Ensina em seu Dojo, que ocupa sede própria e foi especialmente construído para o ensino da arte onde desenvolve a sua “Ryu” (forma de ensinar a arte). O Takemussu Aiki é filiado à CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AIKIDO – BRAZIL AIKIKAI, que possui o símbolo da integração entre o triângulo, o quadrado e o círculo: a mandala do AIKIDO. Tem um dos sites mais completos em termos de informações sobre a arte do mundo.

Em 2009, obteve o reconhecimento máximo por seus esforços; a honra e a alegria de ser o primeiro professor de AIKIDO latino americano a receber o título de Shihan, (Ph.D em AIKIDO). Wagner Sensei é conhecido por buscar um AIKIDO eficiente em termos de defesa pessoal, é um professor exigente, porém impregnado de filosofia, que adquiriu nas quase quatro décadas em que estuda, ensina e pratica a arte. Seus alunos que se espalham pelo país possuem nível internacional, e são reconhecidos pelos mestres japoneses.

Em 2017, o Shihan Wagner Büll foi graduado pelo Doshu do AIKIDO com a promoção de 7ºdan.

A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE AIKIDO – BRAZIL AIKIKAI é uma entidade que permite a afiliação de outras organizações ou Dojos que queiram receber ensino e certificação de AIKIDO de nível internacional, de forma a garantir no país a excelência técnica neste caminho marcial.

(Fonte: revista Grandes Mestres das Artes Marciais do Brasil – 3ª edição).

NINJUTSU – uma breve introdução.

Março 1st, 2018

NINJUTSU é uma arte marcial tradicional japonesa que teve seu início histórico no século VIII e se estendeu até o século XX, perpetuando seus ensinamentos até os dias atuais por meio de escolas marciais não competitivas que visam métodos de combate, defesa pessoal, condicionamento físico e filosofia para a melhoria pessoal.

O termo NINJUTSU pode ser dividido em dois kanji (ideogramas japoneses) em que a tradução livre  significa “técnica do homem furtivo” ou “técnica daquele que resiste a lâmina de uma espada.” Tal termo foi cunhado segundo o momento histórico e cultural japonês em que o agente Shinobi foi necessário e, assim, houve possibilidade de se desenvolver um conjunto técnico peculiar a eles. É graças também aos fatores históricos que o NINJUTSU desenvolve técnicas de combate corporal, combate armado e uma série de especializações.

Aos praticantes de NINJUTSU, não se denomina Shinobi ou Ninja, chama-se de Ninjutsuka, pois após a Restauração Meiji e a abertura do Japão para o mundo, as técnicas de combate utilizadas em guerra foram transformadas em escolas de artes marciais, as quais se transformaram em duas vertentes principais: artes marciais desportivas e artes marcias – BUDO. Assim, uma vez que a atividade de guerra do Shinobi não existe mais em sua função primária, atualmente NINJUTSU é um BUDO desenvolvendo-se a prática marcial para crescimento próprio e para a perpetuação das tradições morais e éticas que constróem uma sociedade melhor.

O Sho Kumo Ryu Ninjutsu (Escola de Ninjutsu da Pequena Aranha) é um estilo de NINJUTSU tradicional que desenvolve o treinamento físico, mental e filosófico do seu praticante, visando sempre o aprimoramento pessoal como: condicionamento físico e psicológico, desenvolvimento de coordenação motora, disciplina e organização, aumento de auto-estima, conhecimento das tradições, história, filosofia e cultura do Japão, desenvolvimento de aptidão para trabalho em grupo, pro-atividade e liderança.

O estilo foi fundado em 1956 pelo Soshi Yoskiaki Yamato Sama e hoje é representado por seu irmão, o Soke Toshiro Yamato residente em território japonês.

A filosofia central do Sho Kumo Ryu Ninjutsu encontram-se em duas afirmativas do Soshi Yoshiaki Yamato Sama, em que ressaltam os fundamentos do estilo: LEALDADE, UNIÃO, ESTRATÉGIA, PERSEVERANÇA, SUPERAÇÃO DE SI MESMOS E O ENSINAMENTO TRADICIONAL.

Shidoshi Rodrigo Müller.

Março 1st, 2018

Paulista, nascido em Rio Claro, estado de São Paulo, em 1972, desde a mais tenra idade sempre esteve envolvido na prática de artes marciais. Começou aos sete anos com o Judo, vindo depois a praticar Tae Kwon Do, Kung Fu nos estilos Suai Chiao, Wing Chun Chuan, Shaolin do Sul e Shaolin do Norte, aonde graduou-se Sifu 7a. fase. Conheceu o Sho Kumo Ryu Ninjutsu e recebeu seus ensinamentos sob a tutela do Soke Yoshiaki Yamato, 10º  dan e fundador do estilo.

Graduado 4º Dan em Sho Kumo Ryu Ninjutsu, sendo até hoje o representante mais graduado do estilo no Brasil, luta para manter vivas as tradições ancestrais e tradicionais do Ninjutsu, ensinando uma turma restrita de praticantes no Saiken Dojo em Cuiabá. Supervisiona ainda as atividades de diversos Dojo pelo país, especialmente em Brasília, DF, aonde seus discípulos ministram aulas. Hoje já com uma quinta geração de professores, que também conduzem suas atividades, perpetuando as tradições do Ninjutsu Sho Kumo Ryu.

Está envolvido com o treinamento de policiais, oficiais da lei, militares e seguranças pessoais há mais de 20 anos. Agregou as técnicas do Ninjutsu Sho Kumo Ryu aos métodos ocidentais de combate, criando um sistema de Close Combat baseado nas técnicas japonesas de combate desarmado e na filosofia do Coronel Rex Applegate e Sikes & Fairbairn.

O uso de técnicas de imobilização e pontos de pressão (Atemi Jutsu) nestes cursos, tem mostrado a eficiência do Ninjutsu nas atividades policiais do dia a dia, tanto na prisão de suspeitos, quanto na contenção de manifestações violentas. Além de especialista na arte marcial do Ninjutsu, tem treinamento nas áreas de Operações Especiais, Tiro de Combate, Entradas Táticas, Mergulho, Resgate de Reféns e Segurança V.I.P.